Análise comportamental #ChiadoEditora

A Análise comportamental: Relacionamentos em crise, foi o livro que escolhi para ler.
Quando olhei para este livro e sendo eu uma admiradora secreta de psicologia, aventurei-me em escolher este livro para ler e fazer uma review para vocês.
Como diz na contra-capa do livro:

Esse livro apresenta muitas situações onde a linguagem corporal e expressões faciais demonstram intenções ocultas entro de um relacionamento de casal, mas que também pode ser extensivo a outros tipos de interacção. Saber interpretar e usar esses mecanismo em prol de uma comunicação mais saudável, tende a ter como consequência um relacionamento prazeroso e harmonioso.

Portanto, resumindo, neste livro vocês podem encontrar uma série de explicações dos nossos gestos corporais, mas que na minha opinião, não se engloba apenas em relacionamentos, mas também no dia a dia com pessoas que nos rodeia.
Ou seja, sempre ouvi dizer e aprendi que comportamento gera comportamento correcto? Mas não significa que todos os gestos que eu faça ou alguém faça que seja na base por exemplo da agressividade, de não se preocupar, de se desligar. Muitas vezes não é isso.
Eu sou  uma pessoa que se exprime imenso corporalmente e os gestos já são tão mecanizados que nem nós próprios damos por isso. No entanto, se estiverem a falar comigo e eu escolher os ombros, não é obrigatório ser “não quero saber”, também pode significar que não sei, que não interessa… Imagina uma situação em que, o meu namorado me diz “Olha a vizinha caiu de um telhado”, e eu automaticamente sorrio, não quer dizer que estou a gozar com a senhora, tem uma certa graça, mas não é gozo.
Acho que existe mil e uma maneiras de interpretação do nosso corpo, que para mim, não irá existir uma forma definitiva de o traduzir.
Vamos ver por exemplo, eu e o meu namorado não costumamos ser um casal lamechas que anda de mão dada por tudo o que é sítio, isso não quer dizer que a nossa relação ande mal, pelo contrário a nossa relação anda super bem. No entanto, as pessoas pensam que nós não nos damos bem, porque não exibimos o nosso carinho perante todas as pessoas.
Por exemplo, vamos sair com um grupo de casais e estão todos a mostrar o quanto gostam um do outro, troca de beijos, de carinho, eu e o meu namorado não, preferimos começar a gozar e dizer “Meus, arranjem um quarto”…
Percebem porquê que eu acho que não existe maneira certa de interpretar a linguagem corporal?
Existia uma série que eu adorava que era o Lie to Me, adorava aquela série, a capacidade de aprendizagem naquela série era de loucos, e é muito mais fácil encontrar uma mentira, uma tristeza, uma felicidade pelo olhar das pessoas do que corporalmente.
A não ser que a pessoa uma eufórica que goste de partilhar tudo com todo o mundo.
Estou a fazer-me entender correcto?

Portanto, este livro para mim, não me ensinou muita coisa, existiu sim partes que acabei por conhecer, tipos de interpretações que efectivamente batem certo, mas acho que não se pode generalizar as situações.
Eu por exemplo, parece que estou sempre com mau feitio, por causa da minha cara e no entanto até estou de bom humor. Como vice-versa, existem quem tenha cara de bem disposto e ser um mau feitio.
No geral, o livro acaba por ser interessante, mas não acho que seja a realidade, vai depender muito de personalidade para personalidade e o livro não se justifica que esta seja uma realidade 100% verdadeira, quando na verdade não é. Não se pode generalizar.
Quase que é que dizerem que quando um casal dorme de costas um para o outro é porque estão chateado. Errado!
Eu durmo de barriga para baixo porque é a única forma de conseguir adormecer, o meu namorado dorme de qualquer das maneiras, mesmo que em qualquer das posições tenha movimentos bruscos que mais parece ter um ataque de epilepsia.
É como também, eu e o meu namorado estamos a falar, se fosse-mos todos pensar que o livro tem razão, as pessoas diriam que eu sou uma convencida emproada por estar de nariz empinado a falar com o meu namorado. Está mal, simplesmente tenho 1,50 de altura e tenho que falar com toda gente de cabeça para cima.
Portanto sim o livro tem certos aspecto interessantes, mas não não acho que seja 100% verdade. Mas agora também vai depender muito da capacidade de interpretação de cada um.
Agora se tu fores uma pessoa obcecada na relação, completamente pega-monstros, aconselho-te a não ler este livro, antes que penses que o rapaz/rapariga te anda a enganar.

25 Comments

  1. Concordo plenamente, sempre ouvi dizer que um casal quando anda na rua com muito mi mi mi 🙂 em casa.. não é bem assim.
    Em relação a nos rir-mos de situações que deviam ser para ficar triste, também é normal, já me aconteceu tanta vez 🙂
    Beijinho

  2. Olha fiquei com curiosidade de ler este livro. Por acaso uma das cadeiras mais interessantes que tive foi onde abordamos as micro expressões e afins, “lie to me” style! x) é super interessante e o melhor é q damos por nós armadas em mentalistas 😀

    isso do te rires em situações que era suposto não rir é o teu cérebro que te está a dizer que está tudo bem. Eu sofro do mesmo mal. x)

    beijinho
    The Midnight Effect / Instagram

  3. Fizeste-me lembrar uma frase da minha Professora de Psicologia:

    “Muito da Psicologia é senso comum, se não pararmos 5 minutos para analisar, enquadrar e implementar, até plantar batatas parece senso comum”. 😉

Podes comentar aqui