Cinco razões para não adoptares patudos

Quem adopta um animal não pensa nas consequências de o ter. Pensam que adoptar um animal, é adquirir mais uma coisa para a família.
Mas basta de pensarem assim. Os animais não são uma coisa, não são um objecto muito menos são algo para brincar:
Os animais são seres vivos tal como nós, têm sentimentos… Eles também sofrem como nós, eles são felizes como nós. Sabem? E existem pessoas que não compreendem isso. Tratam-nos como uma simples coisa que ali anda.
E é triste essa realidade.

Mas hoje vou dar-vos cinco razões para não adoptarem patudos:

A sério que pensavam que vos ia dar razões más para não adoptarem animais? Claro que não.
Adoptar um animal é uma enorme responsabilidade, pois estamos a falar de um ser com o número de emoções que nós, com a maior dor possível que podem ter, pelo facto de os deixarem para trás.
Eu fui de férias a semana passada e vocês acham que a deixei para trás? Acham que a abandonei? Ou entreguei em um hotel canino? Claro que não!
Levei-a comigo. Se deu mais trabalho? Deu! Se me impediu de ir a sítios, a cafés, a super-mercados, lojas e outras? Sim completamente. Mas nada substitui o amor que tenho por ela e seria incapaz de a deixar para trás.
Quem adopta um patudo tem que ter em mente logo de inicio que vai existir destruição, vai existir chichis e cocos por tudo o que é sítio, vai ter que saber que não vão conseguir resistir a uns belos sapatos ou a umas belas dentadas nos teus móveis. Quem vai adoptar um animal vai ter que se mentalizar que vai ter que perder tempo, na sua educação, no seu desenvolvimento, nos seu ensinamentos.
Ou vocês acham que é fácil educar um animal? Errado, completamente errado.
A minha Tucha chegou do Canil e foi super habitua-la a fazer as suas necessidades na rua. Natural, esteve fechada numa “jaula” onde poderia fazer as necessidades onde quisesse.
Se ralhei? Ralhei… Não é também a fazer coitadinhos que eles vão aprender, mas também não é a esfregar o fucinho nas suas fezes que aprendem. É ralhar, mostrar o sítio e levar o animal imediatamente ao sitio onde é para fazer as suas necessidades.
É o jogo da paciência meus amigos. E sim vão ter sempre a vida presa no que toca ao vosso animal, claro se forem do género de pessoa que se preocupam verdadeiramente com o animal. Mas vai valer a pena, sabem porquê?
Porque até o fucinho e olhos deles, transmitem a felicidade de irem passear.

Portanto para ti, que queres adoptar, não sejas parvo e pensa que vais ter os melhores momentos da tua vida ao lado do teu patudo, vais andar sempre com o coração nas mãos a pensar se ele está bem. Sim é género de teres um filho.
Por isso, adopta, mas adopta com consciência, porque se é para colocares o anima em sofrimento, mais vale deixares o animal no mesmo sítio.

6 Comments

  1. Os meus dois já fizeram quase tudo que indicaste excepto roer moveis, mas de resto são a animação cá de casa! Acho uma piada quando saimos por apenas 5 minutos e eles fazem uma festa tão grande 😀
    Ainda não fui realmente de férias com eles, mas estou para ver o ano que vem, dois cães, um coelho, um cachopo e dois adultos xD

    Beijinhos,
    Dezassete

  2. As pessoas têm que ter consciência do que implica adotar um animal. Pode ser uma comparação extrema, mas da mesma maneira que se pesa a disponibilidade para ser ser pai, também o devemos fazer nesta situação, porque exige responsabilidade e compromisso!

    r: Obrigada 🙂

Podes comentar aqui