Descobre as diferenças.

Vocês pensavam mesmo que eu não iria falar da Eurovisão não era? Nunca falei, não era agora que ia falar.
Mas como os ânimos acalmaram, decidi por bem, falar. E não para dizer mal, mas sim porque cheguei à conclusão que todos  devem interpretar os seus ídolos, ou então sou eu, que acho tudo muito parecido.
Primeiro quero deixar bem claro que, adorei a edição deste ano, todos os países foram muitíssimo bons. Foi muito pop, acho, mas adorei todas as canções.
Ouve duas que impliquei, que foi a de Israel e a nossa, mas acostumei-me. Agora se me vierem perguntar as músicas e de que países eram, não faço ideia, só decorei duas dos seus respectivos países.
No entanto, com isto tudo, hoje vou partilhar o que achei de engraçado a nível de estilos, tanto de aparência como estilo musical.

Vamos lá:


Vamos lá ver que este querido senhor da Dinamarca se inspirou no nosso querido Jared. Quase que punha as mãos no foto, pois o estilo, é exactamente igual. Tanto o corte de cabelo, como a barba, como o vestuário.
Eu quando o vi, fiquei “Bem, este gajo é tal e qual o vocalista daquela banda”. Só muda os olhos.

Este admito que achei bastante diferença. Pois tanto o estilo musical como o estilo visual me fez lembrar automaticamente o Ed Sheeren. Matem-me, se quiserem, mas para mim, só muda mesmo a cor do cabelo e dos restantes pelos da cara.

Juntei o Bieber, verdade. Mas não porque os estilos visuais são iguais. Não, nem parecido. Mas a voz do menino Benjamin e o estilo musical fez o meu cérebro automaticamente buscar o Justin Bieber.

Estes são os casais maravilhas. Lamento se o casal de Espanha me fez lembrar a série da Violetta, mas… Foi a coisa que me ocorreu assim que os vi a entrar no palco. nem precisaram de começar a cantar a sua linda melodia.
Maluca talvez?! Não sei. Mas quando começaram a cantar então tive a certeza absoluta.

Hááá, este… O menino Mikolas, tem um estilo super amoroso, mas o seu som fez-me lembrar o Justin Timberlake (atenção, tenho muito amor ao meu querido Justin) mas fez-me lembrar.
Aquela batida, aquele refrão, fez-me sentir uma energia brutal e veio o lindo do Justin à cabeça.

Atenção, estes dois estão de parabéns e são parecidos pelo facto de, terem feito músicas radicais (se é que me entendem).
A menina Netta, a vencedora da Eurovisão, teve uma música bastante engraçada e a verdade é que não é fácil uma pessoa abanar os ombros ao ouvir.
Com isto, fiquei desiludida porque não era música perfeito para ter ganho a Eurovisão, daí ter ficado fula da vida.
Mas claro, se fosse só a votação da população mundial que intrevisse, não era que tinha ganho.

Estes dois nada têm aparência igual, mas a verdade é que achei a melodia e a música muito à Sam Smith.
A forma como como canta, a melodia, tudo. E foi assim que o senhor Sam Smith veio à minha cabeça.

Este sim, não tive qualquer sombra de dúvida que era estilo do Marilyn Manson. Meus Deus, não o podem negar. O corte de cabelo, o estilo de vestuário, e só aquele olho, veio logo e disse logo “Olha este é Marilyn Manson”.
Não podem negar, o estilo é tão igual. Já as músicas não.

A menina doce, pensei eu quando ouvi a música da Lituânia. E assim que a voz dela se começou a abrir, lembrei-me da Lights. Não sei se conhecem, mas é uma rapariga que tem uma voz tão doce que dá vontade de ouvir e ouvir e ouvir… São vozes tão doces, tão meigas, que parece que não partem um prato.

_________________________________________

E claro, isto foram os que me vieram à cabeça assim que comecei a ouvir todos eles.
Não estou a dizer que não adorei aliás, não ouve nenhuma música que não tivesse adorado. Mas claro que ouve duas músicas que para mim, foram as melhores. Pela diferença, pelo estilo, pela melodia, sei lá adorei de coração.

Itália, minha querida Itália, vocês partiram-me o coração pelo lugar em que ficaram. Música brutal. Melodia estável e memorável. Letra de cair com a cabeça no chão. E fora que os achei giros para caraças (desculpem lá, mas achei).
A cumplicidade entre ambos os cantores, a forma como se expressaram epá, foi tudo.
Deviam ter sido os vencedores e não foram. Injusto!

Républica da Bielorrússia, este rapaz, minha nossa senhora… Não sou rebarbada, mas só o sorriso dele faz derreter milhões de corações pelo mundo. Apesar da música ser já aquele género de letra que já conhecemos, achei a batida brutal. O seu início tão calmo, tão slow e depois wow! Epá adorei!

_________________________________________

Por isso concluindo este post, que já devem de estar a pensar que sou uma rebarbada (mas não sou, apenas tenho olhos na cara), este ano os concorrentes eram giros como o caraças e as concorrentes, mulherões!
Este ano, acho que foi um excelente ano para a Eurovisão, tanto de músicas, como de concorrentes de tudo. Adorei adorei adorei!
Se achei bem ter ganho a rapariga de Israel? Não, não foi música que devesse ganhar. Mas, a questão política tem muita influência, mesmo quando as pessoas pensem que não.
Quanto à nossa música, vão-me esfolar, mas não achei nada de especial. A voz da Claúdia sim senhora, linda voz, super meiga, mas a letra? Não me tocou, não me deu qualquer emoção. Apenas é uma música boa para cantar ism senhora, mas nada que conseguisse chegar ao meu coração.
Desculpem se não gostam da minha opinião, mas acho que nenhum dos nossos concorrentes no Festival da Canção tivesse em “condições” para ganhar. Incluindo o Diogo Piçarra, que ficou tudo tão chateado.
Tivesse ele ido ou não, não ganhávamos. Não se chateiam. Porque se forem só pela letra, como mencionei acima, deveria ter ganho a Itália, pela demonstração do que sofremos, de guerras, de destruição, de mortes.

E vocês, o que mais gostaram? Quais os países que mais gostaram?

Deixa aqui o teu comentário

  1. O festival em si foi muitíssimo bem organizado! Independentemente do resultado, acho que só podemos ficar orgulhosos, até porque demonstramos, uma vez mais, que sabemos receber e organizar um evento memorável.
    Quando à nossa música, acho-a lindíssima e com uma mensagem encantadora – além de, na minha opinião, também ser bastante catártica, pela situação que a sustenta. Sou suspeita, porque adoro a Isaura e a Cláudia, mas o último lugar não me parece justo. Da mesma maneira que não é o facto de ter ficado em último que me fará gostar menos dela. Fomos muito bem representados (ainda que a minha música favorita para tal continue a ser a do Diogo).
    Houve músicas lindíssimas, que ficarão para sempre na memória. E continuo sem entender o porquê de ter ganho a que ganhou, mas quando assuntos externos passam a ser mais importantes que a música não há muito a fazer

    r: Um dia haveremos de conseguir 😀

  2. Esperava que a Itália terminasse num dos 3 primeiros lugares. Adoro a música, aborda temas actuais e passa uma excelente mensagem. Penso que a Irlanda também merecia uma posição melhor. Boas melodias, letras impactantes, mereciam melhor pontuação! Minha humilde opinião. 😉