Hoje em dia a nossa vida é tão robótica que nos esquecemos de viver, viver a nossa vida, viver o nosso dia-a-dia, viver o que nos faz feliz e nos faz sentir bem.
Nos tempos de hoje, vivemos tão obessecados com os nossos deveres que nos esquecemos dos nossos direitos. E que direitos, perguntam vocês?
O direito de serem felizes, o direito de terem a vossa liberdade, o vosso tempo, gerir o que mais gostam, de passear ou de apenas dormir.
Os tempos que decorrem actualmente estão a fazer com que nos retirem tudo aquilo que nos faz feliz, e a verdade é que deixamos de fazer aquilo que mais gostamos e acabamos por nos esquecer de as fazer.
Mais tarde quando queres voltar a fazer, simplesmente não te apetece.
Será que vale a pena viver a única vida que tu tens, assim? Achas que vale a pena perderes as melhores fases da tua vida, as melhores idades, por causa da tua vida tão robótica?
Onde está essa felicidade? Onde está essa tua vontade? Onde está o teu espaço?
Já repararam, que todas as pessoas que estão empregadas hoje em dia, vivem tão preocupadas só para o trabalho e receber o seu ordenado ao fim do mês para pagarem as contas e nada mais?
Estão a trabalhar um mês inteiro porque se preocupam em pagar as contas mas nada mais?! E os passeios? E os vossos conhecimentos? Onde está isso tudo inserido?
E a verdade é que acaba por não se fazer nada disso porque as despesas acabaram por levar mais de metade do salário e a pessoa guarda para o caso de acontecer algum imprevisto.
Neste país não temos hipóteses de nada, nem de ser feliz.
A continuar assim, não irá existir robôs, nós já fazemos de robôs.
E tudo isto, serve para quê? Eu canso-me de dizer, ultimamente, que o dinheiro não é tudo, mas a sanidade mental é o mais importante, a tua saúde é o mais importante.
As pessoas têm que largar um pouco a preocupação só dos pagamentos e do trabalho, as pessoas têm que começar a viver, vocês têm que viver, incluindo-me a mim, eu tenho que viver, eu tenho que pegar em mim e fazer tudo aquilo que eu gosto, fotografar, desenhar, pegar no design, tudo. E não o faço. E sabem porquê?
Porque o trabalho ocupa o tempo todo e esgota-me. A minha vida é resumida a casa trabalho, trabalho casa. Nada mais do que isto, e jovens, eu só tenho 25 anos e sinto-me uma velha de 50 anos!
Não é justo, eu sou tão nova. Não é justo estar a abdicar da minha felicidade por causa de um emprego, seja ele qual for, para conseguir no mínimo sobreviver a este país que, cada vez está pior. Não é justo viver infeliz só porque não tenho vontade de fazer o que mais gosto.
Acreditem em mim, não há nada pior que é tirarem a vossa felicidade, e ainda se sentirem obrigados a fazerem algo porque precisas disso. Não é bom, para ti, principalmente.
Não deixem que as rotinas vos apanhe, não deixem que o dinheiro fale mais alto, não deixem que as despesas vos prejudiquem. Todos conseguimos sobreviver de alguma maneira, umas melhores que outras, mas sabem… Não estou a dizer para largarem tudo o que vos prejudica e serem felizes e depois não terem dinheiro para se alimentarem, não é isso!
Estou a dizer que sejam mais conscientes, seja mais realistas, não deixem de lado que o que mais gostam de fazer só porque o tempo é pouco, o dinheiro é pouco.
Estou a dizer para pensarem, façam uma lista, é um desafio para vocês mesmo:

  • Em que é que eu sou bom?
  • Porque que preciso deste trabalho?
  • Porque que preciso desta vida?
  • Não mereço ter tempo para mim?
  • Não mereço fazer aquilo que eu mais gosto?
  • Mas afinal, quem sou eu?
  • O que mudaria na minha vida?

Se conseguires responder a essas questões, vais-te sentir mais liberto, mais consciente. É importante ouvires-te a ti mesmo, é importante pensares naquilo que és, naquilo que queres ser, naquilo que te importa. Foca-te em ti, naquilo que tu és. É importante, até mesmo para o nível de desenvolvimento pessoal.

O dinheiro é tudo? Não, o dinheiro é uma parte, porque o resto, és tu que és tudo e as tuas escolhas é que se tornam em um tudo.
E a tua cabeça? Tão focada em tudo, tão focada em preocupações, mas e a tua cabeça precisa de repouso, precisa de dar um off e repor energias. Afinal, ela importa certo?