Todos os anos é sempre a mesma lenga-lenga, dias que chamam de “especiais”. Coisa que eu não ligo nenhuma, nem sequer acho correcto haver esses tais dias.
Dia da Mãe, dia do Pai, dia dos namorados, dia da criança e por aí adiante, são dias que não me dizem nada. Talvez por não ser nenhuma dessas variedades existentes, não sei.
Talvez sou bruta, mas acho que para mim, todos os dias são dias que, ser mãe ou ser pai é desde o momento em que têm um filho. Para quê haver um dia específico para o ser? Não faz sentido.
Insensível? Sim, talvez um dia quando for mãe mude de opinião e goste de que o meu filho me dê um bom dia da mãe. Mas até lá, acho que não faz sentido.
A minha mãe é mãe desde do dia 10 de Setembro de 1992 (contando só comigo, tenho um irmão mais velho), por isso, é mãe desde que teve o meu irmão. As nossas datas de nascimento são o que torna a senhora Mãe, foi o dia em que começamos a “atasanar” a cabeça a ela. Por isso, faz mais sentido esse dia ser especial.
Se calhar, para todas as mães no mundo, faz sentido o dia da mãe ser no dia em que foram mães.
Tal como o pai, o dia do pai é importante quando fez o seu primeiro filho. Que lógica tem o dia do pai ser 19 de Março e o dia da Mãe ser dia 6 de Maio?
Para mim não faz qualquer sentido.
É como o dia dos namorados, que sentido faz ter um dia especifico para o dia dos namorados, se eu já namoro à uns bons anos? Dia dos namorado, deveria ser contabilizado desde o inicio de uma relação e não em um dia especifico.
Será que sou eu, que estou a ficar velha? Não sei.
Apenas não faz sentido fazer posts acerca destes dias, não me faz sentido criar publicações destas datas.
Basta apenas telefonar aos meus pais, desejar um bom dia, que é coisa que já faço todos os dias, mas tudo bem, torno-lo mais sentimental.
Isto é tudo muito bonito, quando somos crianças, que damos aquele carinho, aquele desenho, aquele postal, ou apenas um flor. Agora, com esta idade? Porque iria fazer um post “O que oferecer no dia da mãe?”. Então, nos outros dias não merecem?
Eu não quero ser insensível, apesar de estar a parecer, mas, é a minha realidade, são questões que eu faço a mim mesma, e isto sim faz mais sentido partilhar com vocês, talvez me dêem algumas ideias do porquê comemorar estas datas.